Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região ENSINO NA PANDEMIA

Retorno obrigatório às aulas presenciais no RS pode ser definido nesta quarta-feira

Gabinete de Crise do governo do Estado vem discutindo a questão há semanas e pode definir o assunto em reunião amanhã; atualmente, regra sanitária permite modelo híbrido de ensino

Publicado em: 26.10.2021 às 19:09 Última atualização: 26.10.2021 às 20:25

O gabinete de crise do governo do Estado, que define protocolos sanitários sobre a pandemia, irá se reunir na tarde da próxima quarta-feira (27) e há possibilidade de determinar o retorno obrigatório das aulas presenciais. A medida vem sendo discutida há semanas pelo governo gaúcho. Em alguns locais do País, como no estado de São Paulo, a obrigatoriedade foi estabelecida desde o dia 18 de outubro.

A princípio, pelo que o próprio governador Eduardo Leite tem sinalizado, a retirada da restrição valeria para todas as redes de ensino. Eventual retorno conta com o apoio do Sindicado do Ensino Privado (Sinepe/RS).

Atualmente, aulas podem ocorrer no modelo híbrido, com alguns alunos na escola e outros tendo aulas em casa
Atualmente, aulas podem ocorrer no modelo híbrido, com alguns alunos na escola e outros tendo aulas em casa Foto: Diego da Rosa/GES-Arquivo

O calendário letivo na rede estadual, que segue até 15 de dezembro, ocorre no modelo híbrido de ensino, com aulas presenciais e remotas por meio da plataforma Google Sala de Aula. Para amenizar as perdas educacionais e socioemocionais observadas durante a pandemia, no entanto, a Secretaria Estadual da Educação (Seduc) já vinha incentivando que os alunos retomem as aulas no formato presencial.

O desejo do governo de retomada do ensino presencial obrigatório vem num momento que 63,4% dos adolescentes estão imunizados com ao menos uma dose contra a Covid-19, no entanto, apenas 3,5% completaram o esquema vacinal. Em relação à população adulta do Estado, mais de 75% se encontra devidamente imunizada.

Professor de Saúde Coletiva da Universidade Federal de Ciências da Saúde (Ufcspa) e médico de família e comunidade do Grupo Hospitalar Conceição, o epidemilogista Airton Stein considera ser fundamental o retorno dos alunos para atividades presenciais com segurança. E traça um paralelo com São Paulo, onde as aulas presenciais já são obrigatórias. “O estado de São Paulo tem uma elevada cobertura vacinal e uma tendência de diminuição de novos casos de Covid-19 e, portanto, em condições de orientar esta estratégia, a qual deve ser revista se o número de casos voltar a subir e atenção aos surtos que possam ocorrer”, observa.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.