Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Canoas Rifa da Fazendinha

Galinha rifada, Gertrudes ganha nome e lar canoense

Dilon viajou 290 km para buscar ave, um dos prêmios da Fazendinha

Por Nicolas Pasinato
Publicado em: 25.10.2021 às 03:00 Última atualização: 26.10.2021 às 08:40

O corretor de imóveis do bairro Rio Branco Dilon Camilo percorreu cerca de 290 km no último final de semana para buscar seus prêmios em uma das rifas mais famosas - e disputadas - dos últimos tempos: a Rifa da Fazendinha. Voltada para arrecadar recursos para a Escola Básica Municipal Bairro Bortolotto, de Nova Veneza, no sul catarinense, a iniciativa chegou a vender 48 mil números pelo valor de R$ 2 cada, o que fez com que a instituição arrecadasse cerca de R$ 100 mil.

Dilon foi até Nova Veneza, no sul de SC, e recebeu três prêmios da diretora Jussara
Dilon foi até Nova Veneza, no sul de SC, e recebeu três prêmios da diretora Jussara Foto: Divulgação
Em disputa, estavam 15 prêmios da agricultura familiar da cidade, como porco, galinha, choca com pintinhos, queijo e salame.

O corretor foi o vencedor do 14° prêmio, que reunia uma galinha, uma cuca grande e uma dúzia de ovos. A decisão de participar do sorteio ocorreu após a rifa viralizar na internet, a partir de um vídeo que mostrava vereadores da cidade dando gargalhadas enquanto uma das parlamentares lia a lista de prêmios.

Único gaúcho

"Vi o vídeo dos vereadores e achei interessante a possibilidade de ganhar algum animal", conta. Camilo investiu R$ 50 e foi um dos 15 sortudos, sendo o único gaúcho.

Ao chegar em Nova Veneza, foi recepcionado pela diretora Jussara Savio. "Fui muito bem recebido pela diretora e gostei bastante da cidade. Tem uma ótima culinária e é muito bonita. É um município para o qual gostaria de voltar", declara. Ele conta que recebeu todos os prêmios conforme o previsto. Sobre o item mais inusitado - a galinha - disse que irá cuidar dela e já deu até um nome para o animal: Gertrudes.

Antes de levar Gertrudes para Canoas, o corretor continuará na estrada com destino para Balneário Camboriú, litoral catarinense. "Vou comprar um maiô pra ela", brincou.

Destino da arrecadação

Com a arrecadação recorde, a ideia é levar os 403 alunos da escola para um rodízio de pizza - em grupos menores para evitar aglomerações. "Também vamos comprar lembranças para alunos e professores e materiais pedagógicos", ressalta.

"Nunca imaginei que venderíamos até para o exterior"

Em uma cidade com predominância de agricultura familiar, a rifa foi feita com prêmios doados pelos pais dos alunos e chegou a ser comprada por pessoas de outros estados e países. Esta não foi a primeira vez que a premiação ocorreu. Há seis anos, a escola realiza a Rifa da Fazendinha para arrecadar fundos.

Porém, nenhuma outra teve tanta repercussão quanto a última. "Fui pedindo um bicho aqui, um produto ali entre os produtores do município e montei a lista de premiações. Em 2019 já havíamos feito e vendido cerca de 4 mil números, nunca pensei que venderíamos até para pessoas do exterior", diz a diretora Jussara.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.