Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Levantamento da Fepam

Todas as praias do litoral norte estão próprias para banho

Os pontos que apresentaram problemas na balneabilidade estão localizados em águas interiores do Rio Grande do Sul
02/02/2018 17:50 02/02/2018 18:12

Giseli Reinheimer/Especial
Torres na tarde desta sexta-feira (2); o registro foi feito pela hamburguense Giseli Reinheimer
O oitavo relatório de balneabilidade da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) apontou sete praias impróprias no Rio Grande do Sul. Na comparação com a semana passada, subiu de seis para sete o número de pontos sem condições de banho. Todos os pontos impróprios estão localizados em águas interiores. Ainda segundo a Fepam, as praias do litoral norte seguem sem problemas.

De acordo com o boletim, o Balneário Nova Palma, em Nova Palma; a Lagoa do Peixoto, em Osório; a Praia das Areias Brancas, em Rosário do Sul; e o Balneário de Mata, em Mata; passaram a integrar a lista de locais impróprios.

Seguem sem condições de banho a Praia Recanto das Mulatas, em Barra do Ribeiro; a Praia Carlos Larger, em Candelária; e o Balneário Rainha do Sol, em Manoel Viana. Conforme o relatório o relatório, tornaram-se balneáveis a Praia de Passo Real, em Dom Pedrito; o Balneário Rebelo, em Tapes; e o Balneário Distrito de Ernesto Alves, em Santiago.

Neste verão, o órgão está monitorando 79 balneários de 40 municípios do litoral norte, médio e sul e das regiões hidrográficas do Guaíba e do Uruguai. 

Como é medido

Os relatórios do Projeto Balneabilidade são elaborados com base nos resultados das informações obtidas em cinco coletas nas semanas anteriores. Para analisar as condições bacteriológicas nas praias e balneários, são utilizados os parâmetros coliformes termotolerantes e escherichia coli, que indicam contaminação fecal, além da contagem de cianobactérias, organismos que podem causar intoxicações.

Os critérios do projeto consideram duas categorias de balneabilidade para águas doces, salobas e salinas: próprias ou impróprias para banho. São consideradas próprias quando os resultados de quatro ou mais das últimas cinco amostras coletadas no mesmo local constatarem quantidade de coliformes termotolerantes igual ou menor de mil ou quantidade de Escherichia coli menor ou igual de 800 por cem mililitros. São impróprias quando os resultados de uma ou mais das últimas cinco de amostras coletadas no mesmo local constatar mais de mil coliformes termotolerantes ou mais de 800 Escherichia coli por cem mililitros, ou ainda, quando o valor obtido na última amostra for superior a 2,5 mil coliformes termotolerantes ou 2 mil Escherichia coli por cem mililitros.

Cuidado no mar

Na manhã desta sexta-feira (2), a bandeira era vermelha nas principais praias do litoral norte. Confira os locais de alerta:

Atlântida: Saba

Capão da Canoa: Hotel Bassani, Edifício Yara e Praça Maurício Boianowski

Osório: Atlântida Sul

Imbé: Avenida Santa Rosa e Mariluz

Torres: praias dos Moles, Grande, Prainha e da Cal

Tramandaí: Nova Tramandaí, Plataforma e Avenida da Igreja

Xangri-lá: Rua Rio Tainhas


Para conhecer a situação em outros lugares, acesse o mapa


Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS