Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
No Rio Grande do Sul

Marcela, espinheira-santa e carqueja estão entre plantas medicinais de interesse do SUS

Lista com espécies vegetais nativas e exóticas faz parte de portaria assinada no dia 21 de dezembro
27/12/2017 14:47 27/12/2017 14:50

Claucia Ferreira/GES-Especial
Pesquisa compilou levantamentos sobre as plantas medicinais mais utilizadas no Estado em 134 publicações

Marcela, espinheira-santa, carqueja, pata-de-vaca, pitangueira, erva-de-bugre, açoita-cavalo, quebra-pedra, poejo e mastruço são as 10 plantas medicinais mais utilizadas pela população do Rio Grande do Sul, conforme descrito na portaria 588/2017, que institui a Relação Estadual de Plantas Medicinais de interesse do Sistema Único de Saúde no Rio Grande do Sul (Replame/RS). A lista com espécies vegetais nativas e exóticas foi elaborada após três anos de pesquisa, por meio do Projeto de Implementação da Política Intersetorial de Plantas Medicinais e Medicamentos Fitoterápicos da Secretaria Estadual da Saúde (SES/RS) - Projeto APLPMFito/RS, que compilou levantamentos sobre as plantas medicinais mais utilizadas no Estado em 134 publicações, de 1984 a 2015. 

A coordenadora da Política Estadual de Práticas Integrativas e Complementares da SES/RS, Sílvia Czermainski, explica que toda a revisão bibliográfica sobre as plantas feita pelos pesquisadores é coincidente com o seu uso popular. Ela cita que as espécies elencadas possuem recomendação para utilização como planta medicinal in natura, chá medicinal ou medicamento fitoterápico. 

O objetivo da portaria, assinada pelo secretário adjunto da Saúde, Francisco Paz, no dia 21 de dezembro, é resgatar, valorizar, ampliar e qualificar a utilização das plantas medicinais, além de promover ações para o uso da fitoterapia nos serviços públicos de saúde nos municípios.


Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS