Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Obesidade

Gestante acima do peso pode fazer dieta? Veja o que diz médico

Ginecologista e obstetra Rodrigo Maahs Piper também explica os problemas da obesidade na mulher e bebê
14/12/2017 14:04 14/12/2017 14:18

Sxc.hu
Mulheres que engravidam acima do peso aumentam a probabilidade para diabete gestacional, hipertensão gestacional, pré eclampsia, prematuridade, bebê mais pesado que o ideal, malformações
Mães – e pais! – acima do peso têm problemas antes, durante e depois de uma gestação. Isso, naturalmente, sem falar na saúde do filho, que é diretamente afetada pela obesidade do casal. É o que diz o ginecologista e obstetra da Unimed Encosta da Serra, Rodrigo Maahs Piper. Segundo ele, é mais difícil engravidar quando a mulher está acima do peso. É que, explica, a gordura corporal em excesso altera o ciclo hormonal da mulher dificultando a gravidez. Além do mais, há riscos adicionais para a mãe e o bebê.

“Mulheres que engravidam acima do peso aumentam a probabilidade para diabete gestacional, hipertensão gestacional, pré eclampsia, prematuridade, bebê mais pesado que o ideal, malformações”, exemplifica.

Vamos supor que temos uma gestante com sobrepeso: ela poderá ao longo da sua gestação fazer uma dieta de emagrecimento? Conforme o médico sim, desde que sejam seguidas as devidas orientação do seu médico obstetra junto a profissionais especializados na área de nutrição, não há nenhum problema de uma gestante com sobrepeso emagrecer.

Quando a gestante está com sobrepeso não existe nenhuma restrição em seguir uma dieta baseada nos princípios de reeducação alimentar. Além disso, exercícios físicos são fundamentais, desde que não haja nenhuma contraindicação. O ideal é que a paciente chegue no peso adequado antes de engravidar.

E o papel do pai?

O ginecologista Rodrigo Maahs Piper salienta que se o pai for obeso terá influência para o bebê. Ele explica que no momento da fecundação, os espermatozoides levam mais do que informações genéticas que serão misturadas às do óvulo para formar um novo ser. Carregam também marcas deixadas pelo estilo de vida do homem e que podem comprometer a saúde dos filhos.

Vários estudos indicam que a influencia do pai sobre o filho pode ir muito além da genética. Espermatozoide de pai obeso aumenta a chance de filho obeso. Pai obeso tem dificuldade de metabolizar o folato (vitamina fundamental para formação do tubo neural, o precursor do cérebro e da medula espinhal); esta deficiência de folato paterna aumenta a chance de vários tipos de malformações para o bebê. Isso passa do pai para o embrião através do espermatozoide.

Índice de Massa Corporal

Existe um peso ou IMC (Índice de Massa Corporal) ideal para uma mulher que esteja planejando engravidar. Recomenda-se que as mulheres procurem engravidar com um IMC entre 18,5 e 24,9.

- IMC = Peso/(altura²)
- IMC menor 18,5 – abaixo do peso
- IMC 18,5 a 24,9 – ideal. IMC 25 a 29,9 – acima do peso (sobrepeso).
- IMC maior ou igual a 30 – obesidade.
- Ex: Mulher 55kg e 1,70m IMC= 55/(1,70)²= 19 Esta mulher está com peso ideal para engravidar.
Fonte: Rodrigo Maahs Piper, ginecologista e obstetra da Unimed Encosta da Serra


Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS