Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
A natureza agradece

Um gesto que faz toda a diferença para o rio

Parte do lixo do Rio Caí é retirada todos os dias pelas mãos de seu Dirceu e destinada a reciclagem
02/01/2018 09:14 02/01/2018 10:36


Paulo Pires/GES
Seu Dirceu percorre o leito do Rio Caí todos os dias para retirar lixo
Um gesto que se repete há mais de 20 anos em Nova Santa Rita consegue ser lucrativo e contribuir com o meio ambiente ao mesmo tempo. Todos os dias, diversos tipos de resíduos são retirados do leito do Rio Caí e destinados à reciclagem.

O autor da iniciativa é Dirceu Antônio da Silva Wetzel, de 61 anos, que trabalha o dia todo recolhendo materiais como garrafas PET e ferros das águas do Caí que passam pela localidade de Volta Grande. “Comecei a trabalhar com isso porque dava mais dinheiro do que como empregado. Saio de manhã, levo comida e volto de tardezinha. Já tirei 50 sacos de lixo num dia. Litrão e balde é o que mais se encontra, só tem que cuidar porque aqui tem bastante cobra”, conta.

Quando seu Dirceu já tem um volume de resíduos acumulado, entra em ação a cooperativa Unisol, que vai até lá e coleta os sacos com capacidade para 40 quilos cheios de materiais. Questionado sobre até quando fará esse trabalho, ele resumiu na resposta o problema da poluição. “Vou indo. Vamos ver, né? Terminar os plásticos do rio eu acho que não termina nunca.”

Incêndio e reconhecimento

Há dois anos, um incêndio no galpão onde seu Dirceu vivia e armazenava os materiais retirados do rio “destruiu tudo”, como ele mesmo conta. “Um cara que trabalhava conosco brigou com a mulher e botou fogo em tudo. Eu fiquei só com uma bermuda, um chinelo e uma camiseta. Queimou até minha moto.” Mas nem assim a “limpeza” das águas foi interrompida. “Faço isso há mais de 20 anos, não parei nem com o incêndio.”

O trabalho é reconhecido pelo secretário de Meio Ambiente de Nova Santa Rita, Antonio Carlos Alves. “É muito importante devido à nossa cidade ser banhada por rios. Consideramos um trabalho fantástico esse do seu Dirceu”, afirma Antonio.


Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS