Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Pesquisa da Unilasalle

Depressão pode ter origem na alimentação

07/12/2017 13:53 07/12/2017 15:42

Descobrir as mudanças de humor e de comportamento cerebral que a má alimentação pode causar em quem está ganhando peso é uma das questões que o Grupo de Estudo e Pesquisa Interdisciplinar em Comportamento Obeso (Gepico) da Universidade La Salle vem estudando por mais de um ano, em diversos grupos em análise. O Professor Júlio César Walz, coordenador do projeto revelou que o cérebro é afetado diretamente pelo que o indivíduo consome, e que os problemas emocionais crescem proporcionalmente com o aumento do índice de massa corporal (IMC).
 “Observamos pessoas normais que tiveram elevação do IMC em um determinado período. Constatamos que, em muitos casos, houve mudanças comportamentais como aumento de sonolência e ansiedade ao mesmo tempo que as depressões e desânimos cresciam naqueles que se alimentavam mal, a base de produtos industrializados. Percebemos que esses alimentos causam inflamações no cérebro, que faz com que a pessoa não distinga a diferença entre a vontade de comer e a fome verdadeira. Ou seja, a pessoa passa a comer mais e mais. Também tem mais pesadelos e crises de pânico.”

CONSCIENTIZAÇÃO

O Gepico promoveu, durante esta quinta, uma série de atividades, nas quais fomentou ações para conscientização das alternativas para a alimentação correta e bem como saber interpretar corretamente os rótulos dos produtos, entre outros. Todas as atividades foram realizadas nas dependências da Universidade La Salle.
 Pela tarde, a gurizada da ONG Criança Feliz teve a oportunidade de produzir alimentos e bebidas naturais como forma de ter o contado e a experiência de preparar e cozinhar. “Aproximar os pequenos para o que é saudável é fundamental nessa fase da vida para desenvolverem esse paladar. Hoje, eles fizeram bolinho de banana com uva passa no lugar do açúcar; aprenderam a fazer refrigerante natural, a base de água com gás, suco de laranja e cenoura”, relatou a professora de nutrição Fernanda Miraglia.


Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS