Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Montreal

Caverna da Idade do Gelo é descoberta escondida sob grande cidade no Canadá

Espeleólogos amadores encontram gruta em subúrbio de Montreal
05/12/2017 11:42 05/12/2017 11:44

YouTube-Radio-Canada Info/Reprodução
Descoberta foi resultado do trabalho de anos da dupla Luc Le Blanc e Daniel Caron, membros da Sociedade Espeleológica de Quebec
Exploradores amadores descobriram uma rede de cavernas formada durante a última Idade do Gelo, há cerca de 15 mil anos, escondida sob a cidade de Montreal, segunda cidade mais populosa do Canadá. O feito "único na vida" foi resultado do trabalho de anos da dupla Luc Le Blanc e Daniel Caron, membros da Sociedade Espeleológica de Quebec.

Pelas análises em campo, os dois acreditavam na existência de uma rede de cavernas conectada à gruta de Saint-Léonard, num subúrbio de Montreal, contudo, não sabiam sua localização. Em 2014, eles localizaram uma pequena fissura no chão e, um ano depois, conseguiram as primeiras imagens do interior da caverna, usando uma câmera. "Era possível ver que existia alguma coisa, havia mais caverna além da fissura", contou Le Blanc à BBC.

Mas foi somente agora que a dupla encontrou uma parte do terreno macia o suficiente para que pudesse ser escavada. Equipados apenas com furadeiras, martelos e cinzéis, eles conseguiram criar uma abertura grande o suficiente para a entrada. Com uma escada, eles desceram cerca de 3 metros dentro do buraco e começaram a explorar.

Logo após a entrada, Le Blanc e Caron encontraram um muro de rocha, e precisaram atravessar usando cordas. Superada a barreira, eles continuaram descendo até encontrar o aquífero. Mas o teto era muito baixo e a água, profunda. Tanto que eles tiveram que retornar com um bote inflável. Até agora, os espeleólogos amadores já exploraram cerca de 150 metros da caverna, com cuidado para que nenhuma casa acima seja afetada. "Nós ainda temos mais para explorar", comentou Le Blanc. "Para nós é uma grande descoberta, única na vida."

Os espeleólogos acreditam que a caverna tenha pelo menos 200 metros de comprimento, e o aquífero tem até seis metros de profundidade. Ela foi formada como a Saint-Léonard, pela pressão de geleiras durante a última Idade do Gelo.


Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS