Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Polícia

Ossada humana escondida no Niterói leva homem à prisão

Suspeito é detido por ocultação de cadáver no Niterói. Polícia Civil procura mais corpos

Ossada humana no bairro NiteróiUma denúncia anônima chegou por telefone na semana passada à Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), em Canoas. O corpo de uma mulher assassinada havia sido enterrado no terreno atrás de uma construção na Avenida Getúlio Vargas, no bairro Niterói, bem na entrada de Canoas.

Na quarta-feira, dia 6, investigadores da Deam foram até o local. "Começamos a cavar no local indicado, na parte de trás do terreno, e o acesso não foi difícil. Encontramos uma ossada humana, completa", contou à reportagem o chefe de investigação da Deam, Gilberto Pereira. Conforme o policial civil, a ossada aparentava ter sido enterrada havia três ou dois meses.

No mesmo dia, um suspeito foi preso por agentes da Deam, acusado de ocultação de cadáver. O homem, de 56 anos, trabalhava numa oficina de soldas e morava na parte de cima da construção que dava acesso ao terreno de onde os policiais desenterraram o corpo. Segundo Pereira, pelo tamanho dos ossos e também pela presença de uma trança apliques de cabelo feita de material sintético, é possível afirmar que se trata de uma ossada feminina. De acordo com a denúncia, a possível vítima estava desaparecida desde o final do ano passado. "De fato, existe a possibilidade de que seja uma mulher cujo desaparecimento foi registrado em 16 de novembro. Esta vítima, uma prostituta de 39 anos, teve um relacionamento com o preso. Precisamos aguardar os resultados da análise do material genético encontrado e sua comparação ao DNA de familiares desta moça desaparecida", explicou Pereira.


Podem ter mais corpos enterrados

Segundo testemunhas ouvidas pelos policiais civis da Deam, os ossos enterrados e descobertos pelos investigadores são da prostituta desaparecida. Em um desses relatos, o preso jogou a mulher de uma altura equivalente a 10m do chão e ainda espancou-a até a morte antes de enterrá-la. O suspeito nega todas as acusações, apesar de, segundo os policiais, ter dito a eles que sabia que uma mulher fora enterrada no terreno do prédio onde morava e trabalhava, caracterizando a ocultação de cadáver. Preso temporariamente por cinco dias, o homem teve pedido de prisão prorrogado pela Justiça por mais 30 dias. Ele tem vários antecedentes criminais, por delitos como ameaça, furto e lesões. Também já foi acusado de um homicídio e indiciado por roubo.

Conforme a denúncia anônima, outras vítimas de assassinato estariam enterradas no mesmo terreno. Com a ajuda de operários cedidos pela prefeitura, investigadores da Deam voltaram ao local ontem à tarde e cavaram, à procura de mais cadáveres. À exceção de dois ossos, nada foi encontrado. O material recolhido será enviado ao Instituto Geral de Perícias, que definirá se os ossos pertence ao corpo da mesma pessoa desenterrada na semana passada ou se são de outra vítima.

Mais informações

O chefe de investigação da Deam, Gilberto Pereira ressalta que há pelo menos duas outras mulheres desaparecidas naquela região do bairro Niterói, cerca de dois anos atrás. Titular da Especializada, a delegada Carolina Funchal pede que quaisquer informações sejam passadas à Deam pelos telefones 3462-6700 ou 985-941-043. As ligações são sigilosas. 


   


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS