Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Sustentabilidade

Região metropolitana recebe primeiro parque eólico

Complexo deve gerar energia suficiente para o consumo de 140 mil residências, abastecendo cerca de 320 mil pessoas

Alex Rocha/Palácio Piratini
Complexo Eólico Pontal da Enerplan, no distrito de Águas Claras, em Viamão

Com geração de energia suficiente para o consumo de 140 mil residências, abastecendo cerca de 320 mil pessoas, o Complexo Eólico Pontal, localizado no distrito de Águas Claras, em Viamão, na região metropolitana de Porto Alegre, foi inaugurado nesta sexta-feira (11). Para a construção e a implantação de três parques foram investidos R$ 330 milhões. O governador José Ivo Sartori e o secretário de Minas e Energia, Artur Lemos Júnior, participaram da cerimônia.

O parque, que teve o apoio do governo do Estado, BNDES e Badesul, conta com 25 aerogeradores, totalizando 59,8 megawatts de potência instalada. A expectativa da Enerplan é chegar a cinco parques, atingindo um investimento na ordem de 600 milhões de reais, propiciando geração de emprego e renda e distribuição de energia limpa.

"O Complexo Eólico do Pontal simboliza uma mudança de realidade para a região e um novo momento na geração de energia no Rio Grande do Sul e no Brasil", afirmou o governador José Ivo Sartori, que tmbém lembrou que o país ocupa a nona colocação no ranking mundial de capacidade instalada de energia eólica.

Segundo Irineu Boff, presidente do Grupo Oleoplan, holding da operação da Enerplan, o projeto do complexo começou em 2011 e "traz riqueza e desenvolvimento para o Rio Grande do Sul". Boff salientou que os parques vão gerar energia limpa, renovável e sustentável, que "era desperdiçada e vai se transformar em dinheiro para o estado e o município".

O secretário de Minas e Energia defendeu o potencial do Rio Grande do Sul para geração de energia eólica. "O estado é privilegiado não só na questão do vento, mas também em logística", ressaltou.

Geração de energia

A nova instalação vai possibilitar que mais de 100 mil toneladas de CO2 (gás natural do efeito estufa) deixem de circular na atmosfera a cada ano. A capacidade total de energia do complexo é de 204.546 megawatt-hora por ano, distribuídos nos três parques. As linhas de transmissão têm 44 quilômetros construídos pela Enerplan, já prevendo a futura expansão do parque.

A subestação denominada de Viamão 3 - da TESB, empresa controlada pela CEEE-GT -, onde os parques se conectam, está integrada ao Sistema Interligado Nacional (SIN)/Região Sul.

Setor em crescimento

De acordo com a Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), nos últimos seis anos o investimento feito pelas empresas da cadeia produtiva de energia eólica somam 48 bilhões de reais. Os recursos são calculados em relação aos megawatts instalados.

De 2017 a 2020, estima-se um investimento de cerca de R$ 50 bilhões, considerando o que ainda está previsto para ser instalado. Em 2016, a geração de energia eólica cresceu 55% em relação a 2015, de acordo com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS