Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Inverno!

Vem mais frio por aí: mínima deve ser de 2 graus nesta terça

Comércio comemora vendas com as baixas temperaturas

Quem saiu na rua nesta segunda-feira teve que se agasalharHaja saúde! Sair dos 30 graus da semana passada para entrar numa fria. Uma boa referência da força dessa frente foi o registro da Base Aérea de Canoas: entre a tarde e a noite de domingo a temperatura caiu de 24 para 8 graus. Prepare a vestimenta e o humor. Nesta terça e quarta-feira serão os piores dias, de uma fria maior ainda. A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de que a mínima na cidade chegue a 2 graus nesta-terça-feira. O veranico deve voltar semana que vem, afirmam os mesmos especialistas. 

Nesta segunda-feira (17), houve registro de neve na Serra gaúcha. Nada comparado com Bariloche no fim de semana, mas o suficiente para perpetuar o mito e atrair os turistas. Na Capital, a Brigada Militar atribuiu às baixas temperaturas da madrugada a morte de um morador de rua por hipotermia. Por aqui, começar a semana não foi tarefa assim tão fácil. Ao circular pelo Centro de Canoas era possível avistar uma população encarangada, com touca, cachecol e casacão.

Comércio, divulgação e moto

Para o comércio, a virada do tempo pode ser boa para as finanças, destaca o gerente Muhamad Hamad, 23 anos. “Faremos uma liquidação esta semana, as roupas tem mais valor agregado”, aponta do balcão da loja na Rua 15 de Janeiro. “Nos últimos anos, o inverno não tem sido firme, aí resolvemos aumentar o nosso estoque de meia-estação.” Há blusas básicas sintéticas que saem entre R$ 12,90 e R$ 18,90 para crianças.

Quem foi obrigado a sair para a rua e ganhar a vida, virou-se como pode. “Lavei o cabelo de noite porque sair de manhã cedo com ele molhado é ruim”, destaca a divulgadora Andriele Pires, 18. Ela e a irmã estavam na esquina com a Rua Muck tentando vender pacotes de academia de ginástica, com uma faixa na sinaleira. “Levanto às 6 horas, entrouxo as crianças, mas eu sai com pouca roupa”, destaca Andréia Rodrigues, 26. “Precisava de uma manta, bate um vento aqui na rua.” Para a motociclista e manicure Vani Flores, 40, investir na vestimenta ajudou a amenizar a friaca enquanto circulava pela BR-116. “A jaqueta que comprei não deixa passar nada”, brinca. “Tem que se cuidar porque moto não tem a mesma proteção de um carro.”


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS