Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Minas Gerais

Mãe do ex-ministro José Dirceu morre aos 97 anos

Dirceu, condenado na Lava Jato, havia sido autorizado pela Justiça a visitar a mãe no último dia 14

Divulgação
José Dirceu
Aos 97 anos, Olga Guedes e Silva, mãe do ex-ministro José Dirceu, morreu na madrugada desta segunda-feira (17) no município de Passa Quatro, em Minas Gerais. A causa da morte não foi informada pela família.  Como cumpre prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica por ter sido condenado na operação Lava Jato, o ex-ministro precisou pedir autorização à Justiça para passar uns dias com a mãe em Passa Quatro. A autorização foi dada no último dia 14 e vale até sexta-feira.

Em nota de pesar assinada pela presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, Olga é descrita como "uma mulher forte, católica devota e uma mãe amorosa, que sempre esteve ao lado de seus filhos nos momentos mais difíceis". O texto lembra ainda que, durante a ditadura militar, Olga ficou mais de dez anos sem ter notícias de Dirceu, que foi exilado para Cuba em 1969 e viveu na clandestinidade no Brasil entre 1975 e 1979.

"Nesse momento de dor e sofrimento, enviamos à família o carinho e os sentimentos de todos os dirigentes e militantes do PT", diz a nota publicada pelo partido.

Além de Dirceu, Olga teve outros seis filhos. Casada com o tipógrafo Castorino de Oliveira Silva por 56 anos, ela estava viúva desde 1998.

Nas redes sociais, o deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR), lamentou a morte da avó.

Impasse na residência

A casa onde Olga morava foi confiscada pelo juiz Sergio Moro em maio do ano passado, na sentença em que ele condenou Dirceu a 23 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. O imóvel estava registrado em nome da empresa TGS Consultoria e, segundo Moro, foi comprado com dinheiro de propina da Petrobras. Dirceu negou que os recursos usados para comprar a casa fossem ilegais. A defesa alegou que o imóvel foi comprado por 250 mil reais em 2004 e que não foi colocado em nome de Dirceu, que, na época, era ministro, o que poderia ter aumentado o preço da propriedade.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS