Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Violência

Assaltos se tornaram rotina no bairro São José e moradores fazem abaixo-assinado

Comando da Brigada Militar anuncia ofensiva para diminuir os crimes no bairro e restante de Canoas

Moradores do bairro São José estão mobilizados pedindo segurançaJussara Oliveira da Silveira teve de engolir o fato de que sua filha foi assaltada duas vezes em um período de uma semana. O primeiro foi na parada de ônibus, no bairro São José, quando a jovem foi abordada por um assaltante armado. A jovem nem pensou duas vezes. Entregou tudo ao sujeito. Uma semana depois, quando voltava para casa, após um turno de trabalho, ela teria sido novamente parada por criminosos. Ela foi roubada após ser colocada sob a mira de um revólver mais uma vez. "Está demais", diz, revoltada. "Não tem hora e nem lugar", observa a moradora do bairro São José. "Eles chegam, colocam uma arma na tua cara, e levam o que quiserem", desabafa.

PAULO PIRES/GES
Jussara Oliveira da Silva mostra abaixo-assinado com 300 assinaturas
A dona de casa foi uma das residentes do São José que não se acuaram com a violência no bairro. Ela tratou de reunir mais de 300 assinaturas em um abaixo-assinado e foi atrás das autoridades pedir por mais segurança. "A situação nunca esteve tão ruim. De um ano para cá, os bandidos descobriram o São José e passamos a viver acuados, sempre com medo", reitera. Lucirene Pereira concorda. A também moradora salienta que vive há quase 40 anos no bairro e nunca houve tamanha onda de assaltos como agora. "Quase todo mundo na minha família já foi assaltado. E não conheço um vizinho que não tenha sofrido por causa de marginais."

Mobilização

PAULO PIRES/GES
Djalmo Ilha diz que "ninguém mais quer sofrer calado" sobre assaltos
E não são só elas que reclamam. O motorista aposentado Djalmo Ilha viu bandidos colocarem uma arma na cabeça do filho na semana passada. Imagina a revolta? Felizmente, ele confirma que a Brigada Militar (BM) já está ciente do caso e tem dado início a um trabalho de rondas que deve tornar o São José mais seguro. "Eu mesmo vi um menor assaltando uma senhora em plena luz do dia em março", lembra. "Agarrei o piá e dei uma sova. Na época fui criticado. Só que hoje a situação é outra. Houve mobilização dos vizinhos. E ninguém mais está acomodado. Ninguém mais quer sofrer calado."

Vizinhos em alerta

Câmeras de segurança, monitoramento de profissionais de segurança privada, grupo no Whats App para troca de informações sobre segurança. Estas são algumas medidas tomadas pelo grupo de moradores do São José. Chama atenção, principalmente, as placas amarelas que foram confeccionadas e colocadas em frente as residências. Dizem "vizinhos em alerta", além de apontar o 190 da Brigada Militar e o 197 da Polícia Civil. Ao perceberem a movimentação de qualquer suspeito no bairro, os moradores acionam as autoridades.

Brigada deu início a ofensiva

Comandante do 15º Batalhão da Polícia Militar (BPM), Valdeci Antunes garante que a Brigada já tomou providências para diminuir o impacto que os criminosos têm causado na população do bairro. O tenente-coronel foi informado do caso nessa semana e já mobilizou guarnições para um policiamento ostensivo mais frequente no bairro. "Estamos com problemas de criminosos que atuam entre as 4 e 7 horas da manhã. Assaltam trabalhadores que estão para pegar o ônibus, principalmente. E isso acontece não só em um, mas em vários bairros", aponta.

Antunes esclarece também que até geograficamente o bairro é mais visado por assaltantes que roubam carros. É que há várias rotas de fuga, o que facilita a vida dos bandidos. "Estamos deslocando pessoal para lá, porém precisamos de mais colaboração dos moradores, que devem nos informar sobre qualquer movimentação suspeita."

O que diz a Secretaria de Segurança

Em nota encaminhada pela assessoria de comunicação, a Prefeitura de Canoas informa que um grupo de moradores do bairro São José foi recebido pelo secretário-adjunto de Segurança, Alexandre Rocha, na última terça-feira, quando o problema foi relatado. Aos moradores, todas as medidas tomadas pela administração municipal para aumentar a segurança de Canoas e do bairro foram apontadas. Inclusive teria sido o adjunto o responsável pela ideia da criação de um grupo entre os vizinhos para tratar de segurança.

Está nas redes

Está rolando pelas redes sociais um assalto cometido na Rua Pindorama, flagrado por câmeras de segurança de um estabelecimento. Agora, a Rua Charrua também já conta com câmeras de monitoramento. E é bem possível que moradores como a dona Jussara se mobilizem para também colocar câmeras na Rua Barão do Ladário, outra das mais visadas pelos criminosos.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS