Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Impasse

Trensurb culpa o fornecedor por atraso na entrega dos trens novos

O consórcio FrotaPoa (formado pelas empresas Alstom e CAF) é o fornecedor dos trens e responsável pelos reparos que estão sendo realizados

Raphaela Suzin/GES-Especial
Trensurb
A Trensurb se manifestou sobre o não cumprimento do prazo para entrega dos 15 novos trens para a região. A empresa informou que quem está descumprindo o prazo para retomada da circulação da totalidade dos trens série 200 não é a empresa metroviária, mas sim o Consórcio FrotaPoa (formado pelas empresas Alstom e CAF), fornecedor dos trens e responsável pelos reparos que estão sendo realizados em virtude de inadequações de projeto verificadas durante a operação dos veículos.

O Consórcio FrotaPoA informou na quinta (18), via nota oficial, que “está trabalhando em estreita colaboração com a Trensurb para retificar os pontos identificados, a fim de recolocar rapidamente em serviço comercial as composições. Atualmente, os trens se encontram em assistência técnica dentro do prazo de garantia”. Conforme o procurador Celso Tres, da Procuradoria da República em Novo Hamburgo, o objetivo de se instaurar um inquérito civil era para verificar se a Trensurb estava tomando providências. “A Trensurb está fazendo a sua parte”, diz ele.

Nota oficial da Trensurb

"Como ainda há um saldo contratual de cerca de R$ 15 milhões, os valores de multas serão descontados dos pagamentos ao fornecedor, suspensos após a detecção dos problemas de infiltração nos trens. Além da multa inicial estabelecida em 1% do valor total do contrato (R$ 243,7 milhões), a Trensurb deve ser compensada por perdas e danos pela não circulação dos novos trens, que incluem gastos maiores em energia elétrica de tração, na manutenção dos trens da série 100 e em mão de obra para supervisionar o consórcio.”


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS