Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Frituras

Modere na alimentação para não fritar a sua saúde

Doenças cardiovasculares, resistência à insulina, envelhecimento precoce são alguns dos malefícios causados pelas frituras
Juarez Machado/GES
Muita fritura faz mal à saúde
Apesar de serem conhecidas como opções nada saudáveis, as frituras ainda fazem parte do cardápio de boa parte dos brasileiros. É difícil quem resista aos pasteis, aquela coxinha de aniversário ou a tão famosa batata frita. É comum encontrá-los em redes de fast-foods, locais públicos e residências. Eles ganham destaque nas refeições feitas fora de casa, no apelo da praticidade, no preço relativamente mais baixo e na redução de tempo para o preparo e consumo dos alimentos. No entanto, os malefícios que o consumo em excesso de alimentos fritos trazem à saúde são muitos, entre eles, doenças cardiovasculares, resistência à insulina, má absorção de nutrientes, acúmulo de gordura abdominal, mal estar, cansaço e até dores de cabeça.
Mas por que a fritura não faz bem à saúde? O método de fritura é capaz de atingir facilmente altas temperaturas. Assim o óleo se oxida e é capaz de agregar a si compostos tóxicos. Chama-se “Ponto de Fumaça” a característica que marca o surgimento de compostos tóxicos no óleo. Devido a isso, adota-se em média 150 graus centígrados como temperatura segura para frituras.
A coordenadora de Curso de Nutrição da Feevale, Claudia Denicol Winter, explica que no processo de frituras, as gorduras formam uma substancia chamada acroleína, que se forma pela alta temperatura a que se submetem. Além do mais, há de se considerar que o óleo é reaproveitado, especialmente em estabelecimentos comerciais. "Um consumo constante de frituras e de acroleínas deixam as artérias menos flexíveis, causam envelhecimento precoce da pele e tem potencial risco cancerígeno", exemplifica.
A nutricionista de Ivoti, Pâmela Luana Dhein Boetcher, recomenda diminuir o consumo de frituras nas refeições. Uma forma de substituir é trocar as frituras por alimentos grelhados, além de preservar mais o nutrientes dos alimentos, diminuir também o risco de doenças e obesidade.
A nutricionista Cláudia acrescenta que para reduzir ou evitar frituras o ideal seria evitar o consumo fora de casa. Afinal de contas, explica, em casa é possível controlar a qualidade deste óleo, mas nos estabelecimentos comerciais não, já que o óleo utilizado em frituras pode ser reaproveitado por muitos dias, aumentando a formação da acroleína.
Onde ela está
A gordura faz parte da nossa alimentação e atua em nosso organismo em diversas funções. Está presente em óleos vegetais e em gorduras de origem animal. Mas, devemos ter cautela! "É importante evitar a gordura trans, também conhecida como gordura vegetal hidrogenada, ela é a “queridinha” da indústria e está presente nos alimentos vistos como saudáveis. Não leia apenas a embalagem. Vá para a lista de ingredientes, é lá que ela se esconde!", diz a nutricionista Isabela Jaeger, de Gravataí.
A GORDURA
Benefícios
Fisiologicamente as gorduras tem funções importantes no organismo, tais como: facilitam a absorção de vitaminas lipossolúveis (A,D, E e K), ou seja, vitaminas que são absorvidas em presença de gorduras; são fonte de ácidos graxos essenciais (o organismo precisa de gorduras para diversas funções orgânicas como na formação de membranas, produção de hormônios, tecido nervoso e originar sais biliares) e são fontes de energia, mas as duas primeiras funções são as principais, pois há outros alimentos que não sejam gorduras que também são fontes de energia. Mas as gorduras boas são as gorduras insaturadas (polinsaturadas e monoinsaturadas) provenientes de azeite de oliva, abacate, peixes e alguns óleos.
Malefícios
As gorduras ruins são as gorduras saturadas e as gorduras trans, estas presentes nas frituras, alimentos industrializados. Os efeitos nocivos são aumento do risco de doenças cardiovasculares, aumento de dislipidemias, obesidade, entre outras. Um consumo constante de frituras e de acroleínas deixam as artérias menos flexíveis, causam envelhecimento precoce da pele e tem potencial risco cancerígeno.
Óleos: em pequenas quantidades e que suportem altas temperaturas
A nutricionista Isabela Jaeger informa que, segundo o Guia alimentar para a população brasileira (2014), deve-se utilizar óleos em pequenas quantidades ao temperar, cozinhar alimentos e criar preparações culinárias, sempre com moderação. Para frituras, ela orienta utilizar os óleos que suportam temperaturas mais altas. Ela recomenda qual o melhor óleo para cada forma de preparo de alimento:
O ÓLEO DE SOJA é considerado bom para frituras quando comparado aos a outros óleos disponíveis no mercado, devido ao seu custo benefício, pois é barato e tem ponto de fumaça mais alto, o que o torna uma boa opção para cozinhar sob temperaturas mais altas.
ManteigaA BANHA e a MANTEIGA têm se mostrado mais saudáveis para fritar do que os óleos vegetais, pois também apresentam maior ponto de fumaça.
Já os ÓLEOS DE GIRASSOL E MILHO têm ponto de fumaça menor que o óleo de soja. Portanto não são indicados a ficarem muito tempo em alta temperatura.
Os ÓLEOS DE PALMA E DENDÊ são estáveis para frituras. No entanto, eles possuem alto teor de ácidos graxos saturados que são prejudiciais à saúde.
Ela cortou a fritura, ele ainda não
O casal de moradores de Estância Velha, o comerciário Maurício Gomes, 29, e a estagiária em administração pública, Jéssica Karoline da Silva, 25, precisam se adaptar a rotina gastronômica. Ele adora frituras, come batata frita, frango frito e qualquer outra coisa que tenha aquele gostinho diferenciado. "Estou quase entrando na onda, mas ainda não consegui", relata. Já Jéssica alterou sua alimentação desde novembro, o que resultou em retirada de fritura, carboidratos e refrigerante. "Não sinto falta de nada e já percebo melhora na minha pele, além de não ficar enjoada e com sensação de estufamento na barriga", acrescenta Jéssica, que começou a frequentar academia no ano passado e está com foco em melhorar sua saúde.
Reduzir sempre é meta do casal Abel
Regina e Heron
A advogada Regina Abel, 58, e o engenheiro eletrônico, Heron Abel, 61, têm o hábito de almoçar fora, onde cuidam para reduzir frituras. "A gente sabe e lê bastante que a gordura da fritura não faz bem para a saúde, assim como o excesso de sal e de açúcar", ressalta a advogada, que não nega gostar de frituras.
Já o marido é mais rigoroso e não aceita mesmo comer frituras. Em seu prato, ganham espaço as carnes e peixes grelhados, as batatas assadas e polenta brustolada. Em casa, a "batalha" continua. Eles usam pouco óleo. "Eles duram meses", relata o engenheiro. O resultado dos cuidados é positivo. "Os exames médicos indicam valores normais", acrescenta Regina.
O alimento frito...
Pastéis fritos
... Pode causar diabetes
O consumo de alimentos fritos leva à resistência a insulina, hormônio que controla as taxas de glicose no sangue. A resistência insulínica é quando a insulina que circula no sangue não exerce sua atividade de forma plena. As principais consequências são cansaço, mal-estar, dores de cabeça, falta de energia e, em alguns casos, o desenvolvimento do diabetes.
... Aumenta as chances de doenças cardiovasculares
Quando os óleos utilizados para fritar alimentos são submetidos a alta temperatura as características químicas dos mesmos são alteradas, transformando-os em gorduras saturadas que, frequentemente, se acumulam nos vasos sanguíneos e entopem as artérias. Esse acúmulo impede a passagem do sangue ao coração, o que pode causar um infarto ou um AVC (Acidente Vascular Cerebral), caso o sangue fique impedido de chegar ao cérebro.
... Inimigo de uma alimentação com baixo valor calórico
Para quem deseja emagrecer, excluir as frituras do cardápio é o primeiro passo.Além dos malefícios à saúde, o acúmulo de gordura abdominal e o aumento de peso são consequências de seguir um cardápio que prioriza a ingestão de opções fritas.
... Causa a perda de nutrientes nos alimentos
Quando um alimento é colocado em óleo, seja ele vegetal ou animal, a uma alta temperatura, ele se desidrata e perde nutrientes, principalmente substâncias antioxidantes como a vitaminas. Por isso, além de mais calóricos, os alimentos fritos são menos nutritivos.
... Contribui para o envelhecimento
O consumo em excesso de gordura saturada, presente nas frituras, é um fator que contribui para o aumento da produção de radicais livres em nosso organismo. O grande problema é que a liberação excessiva de radicais livres causa um fenômeno conhecido como estresse oxidativo, que está associado ao envelhecimento.
Fonte: Cyntia Maureen - nutricionista e consultora da Superbom

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS