Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Mundo

Herdeiro da Samsung é preso em investigação sobre corrupção na Coreia do Sul

O herdeiro do maior grupo empresarial sul-coreano já havia sido interrogado várias vezes por seu suposto papel no escândalo

AFP
Lee Jae-Yong, herdeiro da Samsung
O herdeiro do grupo empresarial Samsung, Lee Jae-Yong, foi detido nesta sexta-feira (17) no âmbito da investigação por corrupção e tráfico de influência que provocou o impeachment da presidente sul-coreana Park Geun-Hye. Vice-presidente da Samsung Electronics e filho do presidente do grupo, Jae-Yong é acusado pelo pagamento de quase 40 milhões de dólares em subornos à melhor amiga de Park para obter favores políticos.

O caso

Lee já estava em um centro de detenção, depois de comparecer a um tribunal na quinta-feira (16), à espera da decisão judicial sobre se seria necessário emitir uma ordem de prisão contra ele.

Após a detenção, a Samsung emitiu um comunicado cauteloso no qual afirma que a empresa fará "todo o possível para assegurar que a verdade seja revelada nos futuros processos judiciais".

O herdeiro do maior grupo empresarial sul-coreano, de 48 anos, já havia sido interrogado várias vezes por seu suposto papel no escândalo. No mês passado, escapou de ser detido depois que um tribunal determinou não haver provas contra ele.

Investigação

Os investigadores renovaram o mandato de prisão depois que encontraram novos elementos para acusação. Eles explicaram que desejam interrogá-lo novamente no sábado (18), o que expõe o executivo a uma nova aparição pública algemado.

A detenção, a primeira de um executivo da Samsung, pode afetar todo o conglomerado, que representa 20% da economia sul-coreana e inclui a maior fabricante mundial de smartphones, a Samsung Electronics.

O grupo mal se recupera do duro golpe sofrido com a retirada do mercado de seu principal aparelho, o Samsung Galaxy Note 7, devido a um problema na bateria de alguns smartphones que chegaram a pegar fogo.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS