Compartilhar...

VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

Diário de bordo de um nerd no Planeta Terra

Klaatu barada nikto

Leia a crônica de Gilson Luis da Cunha
Gilson Luis da Cunha - Blog Diário de Bordo de um nerd no planeta terraGilson Luis da Cunha é doutor em Genética e Biologia Molecular pela Ufrgs, Old School Nerd, fã incondicional de livros filmes, séries e quadrinhos de ficção científica, fantasia e aventura
Não se preocupe. Praticamente ninguém sabe qual é a tradução exata dessa frase, ainda que, junto com outras como “Eu vejo gente morta” ou “Eu sou o seu pior pesadelo”, ela seja uma das frases mais famosas da história do cinema. Trata-se do comando dado ao robô Gort, para resgatar seu mestre, o alienígena Klaatu, em O Dia em que A Terra Parou, de Robert Wise (1951). Este filme completou 65 anos de sua estreia no último dia 28 de setembro e é celebrado como um dos filmes que pavimentou o longo caminho para que a ficção científica alcançasse um status de respeitável na telona.
Dirigido por Robert Wise, que 28 anos depois viria a dirigir Jornada nas Estrelas, O Filme, a O dia em que a Terra parouaventura inaugural da Enterprise no cinema, O Dia combina uma densa atmosfera de suspense com vários subtextos, a gosto do freguês. Há nele a crítica à corrida armamentista (o mundo vivia o início da Guerra Fria), alfinetadas contra a paranoia macarthista (quem é o inimigo? Seu pai? Seus filhos? Você?) e importantes considerações sobre o futuro de nossa espécie.
A trama narra a chegada de um alienígena humanoide, Klaatu (Michael Rennie) a Washington, em missão de paz. Ao sair de sua nave, acompanhado do gigante Gort, acaba sendo baleado, quando um assustado recruta confunde um presente do visitante com uma arma. Levado para um hospital militar, ele escapa e se disfarça como terrestre, hospedando-se na pensão de uma jovem viúva, Helen Benson (Patricia Neal). Lá, ele faz amizade com Bobby, o filho dela, um órfão de guerra. Através do menino, Klaatu conhece o professor Barnhardt, um físico, a quem o menino considera um homem sábio.
Determinado a levar uma mensagem de paz aos líderes da Terra, ele adverte que todas as fontes de energia no planeta (menos aviões em voo e hospitais) serão cortadas temporariamente. O aviso deveria mostrar que, se ele tivesse intenções hostis, já teria nos atacado. Mas o resultado é o oposto. Caçado pelas forças de segurança, ele é, aparentemente, morto e seu corpo levado pelos militares. Enquanto agoniza, pede a Helen que vá até o local onde Gort se encontra, desativado, e diga “Klaatu barada nikto”. E paro por aí. Ocorre que, mesmo sendo um clássico da sessão da tarde (eu o assisti nos anos 70), já faz um certo tempo que ele não é repetido nas TVs abertas.
O filme é em preto e branco, o que salienta sua atmosfera de época. A música do genial Bernard Herrmann inclui até o exótico (e um tanto sinistro) Teremim, um dos primeiros instrumentos totalmente eletrônicos e pedaços dos temas de Herrmann para esse filme foram muito bem aproveitados em produções de Irwin Allen, como Perdidos no Espaço e O Túnel do Tempo. Adeus ao mestre, o conto de Harry Bates que inspirou o filme, é bem diferente, mas não menos impactante e está disponível em português.
A famosa frase virou um easter egg, escondido (ou não) em diversos filmes, entre os quais Tron, Contatos Imediatos do Terceiro Grau, O Retorno de Jedi e The Evil Dead-Army of Darkness. O filme sofreu um pouco com sua passagem para DVD e Blu ray, pois muitos efeitos práticos que passavam despercebidos em VHS (O que é VHS? Isso é de comer?) acabam ficando gritantes na versão digital. De qualquer modo, trata-se de um grande filme que, se envelheceu visualmente, ainda é bastante superior a seu remake de 2008, estrelado por Keanu Reeves, o eterno Neo, de The Matrix. Vida Longa e próspera e que a força esteja com vocês. Até domingo que vem.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS