Compartilhar...

VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Brasileirão

Inter bate o Figueirense no Beira-Rio, mas segue no Z4

Colorado chega aos 30 pontos e busca deixar o Z4 do Brasileirão
Lutar pela nossa história. Frase que sintetiza o espírito da Nação Colorada no atual momento do Inter e que esteve presente, em forma de faixa, grito e atitude de torcida e time na vitória de 1 a 0 sobre o Figueirense, na noite deste sábado, no Beira-Rio. Jogo que também será lembrado nos corações rubros como o dia em que a sombra da figueira, ou do Figueira, não fez dormir, mas rugir o Gigante e suas mais de 30 mil vozes. Que não admitiam nada menos que o triunfo frente ao catarinenses, adversários diretos na fuga do Z4. Na primeira etapa, o Inter teve o que até agora tem faltado na epopeia vermelha no Brasileirão: postura tática, qualidade técnica, imposição e autoridade. Claro que o gol, a 3,15min, potencializou a confiança, eletrizou o ambiente e encheu de esperança time e torcedor.
A intensidade, a vibração e a entrega tinham nas figuras de Alex, Seijas e, principalmente, Vitinho, sua melhor materialização. Alex chamava o jogo, pedia a bola e coordenava a postura da equipe. Seijas, jogando pela faixa esquerda do campo, pareceu ter achado o seu espaço. Já Vitinho, que às vezes desliga e some do jogo, foi interessado, proativo, elétrico e efetivo. Marcou seu quinto gol na competição, se configurando como artilheiro vermelho no certame. Mas, o que mais impressionou foi a indignação da massa colorada, que cantou, bradou e pulsou junto com o time, numa clara amostra que a torcida segue acreditando e destilando amor e paixão ao time.
Na segunda etapa, a partida ficou mais perigosa e ainda mais tensa. O Figueirense adiantou a marcação e o Inter começou a errar passes, nitidamente nervoso e já sem a confiança do primeiro tempo. A vitória acabou vindo com as calças na mão, no sacrifício, dor e superação. Sofrimento que deverá marcar a dimensão da romaria rubra nas próximas partidas, na busca dos 15 pontos que precisarão ser somados para afastar de vez o fantasma do rebaixamento. Na prática, na frieza da análise, é possível e viável. Porém, como até os quero-queros do Beira-Rio já sabem, será um parto.
Foco no coxa
A vitória, mesmo que no “cagaço”, fez o time chegar aos 30 pontos na tabela, mas ainda na 18a colocação. Contudo, a equipe pode deixar o Z4 já na próxima quinta, quando encara o Coritiba, outro adversário direto, de novo no Beira-Rio. Vitinho, que saiu por lesão ontem, será reavaliado hoje. Paulão, que tomou o terceiro cartão amarelo, não enfrenta os paranaenses. Porém, o que não mudará é o mantra tatuado no coração do torcedor: lutar pela nossa história. E com muito drama.
INTERNACIONAL
Danilo Fernandes; William, Paulão, Ernando e Ceará; Rodrigo Dourado, Fernando Bob, Gustavo Ferrareis (Eduardo Sasha), Alex (Valdívia) e Seijas; Vitinho (Aylon). Técnico: Celso Roth

FIGUEIRENSE
Gatito Fernandes; Ayrton, Bruno Alves, Werley e Pará; Jefferson (Ermel), Renato Augusto (Joseílson), Elvis (Everton Santos) e Dodô; Lins e Rafael Moura. Técnico: Marquinhos Santos
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS