Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
São Chico

'Ela apontou o dedinho com sangue pra mim', conta agricultor

Sheila Graciane Lima Guedes, de 5 anos, foi encontrada em um valo numa fazenda no interior de São Chico
Letícia de Lima/GES-Especial
Agricultor José Maciel aponta para o valo onde encontrou a menina Sheila
Foi o esquecimento de um barbante para enrolar as couves recém colhidas que fez com que o agricultor José Maciel, de 47 anos, encontrasse, agachada e com medo, a menina Sheila Graciane Lima Guedes, de 5 anos. Desaparecida há quase uma semana, a menina foi achada no fim da tarde de segunda-feira (26) na propriedade onde Maciel trabalha, no interior de São Francisco de Paula. "Ela me viu e apontou o dedinho cheio de sangue, cortado, eu acho, em um arame farpado", lembra emocionado.
O agricultor conta que já estava em casa quando decidiu voltar à plantação para proteger da chuva as verduras. Foi quando ouviu um estalo no mato e, mesmo com medo, resolveu ver do que se tratava. "Ela estava ali, encolhidinha, dentro de um pequeno valo. Estava assustada e não falava", conta. Maciel recorda ainda que ofereceu a mão para a menina, que de imediato aceitou, e saiu caminhando. "Assim que ela pegou confiança, peguei ela no colo e levei ela para casa. Me arrepio só de lembrar."Já na casa, que fica em uma fazenda na localidade de Passo do Carro, Maciel chamou a Brigada Militar. Minutos depois chegaram os policiais e a delegada do caso, Fernanda Seibel Aranha. 
Menina foi transferida para Porto Alegre
Internada desde o final da tarde de ontem, no Hospital de Caridade de São Chico, Sheila foi transferida no meio da manhã desta terça-feira para um hospital de Porto Alegre. A menina passará por exame de corpo delito e terá avaliação psicológica.
"Nossa experiência mostra que não adianta perguntarmos nada para ela agora. Somente pessoas capacitadas a trabalhar com trauma é que conseguirão conduzir a abordagem com a criança", explica uma enfermeira do Hospital de Caridade. 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS