Jornais
FECHAR
  • Jornal NH
  • Jornal VS
  • Jornal de Gramado
  • Diário de Cachoeirinha
  • Correio de Gravataí
Grupo Sinos
Publicado em 08/08/2014 - 09h45
Última atualização em 08/08/2014 - 11h04

Estrondo intriga moradores de Sapucaia, Esteio e Canoas

Não há informação da causa do tremor e da explosão

Ana Paula Figueiredo - ana.figueiredo@gruposinos.com.br

Esteio/Sapucaia do Sul - Não era um avião. Conforme o 5.º Comar, não havia aeronaves no céu entre o fim da noite de quarta e a madrugada de quinta. Também não foi trovão e abalo sísmico. Tampouco imaginação coletiva. Não foram poucos os moradores de Sapucaia do Sul, Esteio e de Canoas que relataram estouros similares a uma explosão. Um forte barulho, seguido por tremor, além de vidros de janelas trincados, assustou os moradores que relataram que o fato ocorreu por volta da 1h30. De acordo com a Brigada Militar de Esteio, foram recebidas ligações de diferentes bairros para relatar o ocorrido, que também foi ouvido pelos policiais.

Chamados nos Bombeiros

O Corpo de Bombeiros da cidade também recebeu várias ligações. Em Sapucaia do Sul e Canoas não houve chamados na Brigada Militar e no Corpo de Bombeiros. Mas o 1º sargento Jaime Fernando Colombo, de Sapucaia, diz que o ruído foi escutado no local. “As grades de nossos portões balançaram”, conta. Nas redes sociais muitas pessoas especularam se teria sidoumtrovão ou explosão e o motivo. No entanto, a causa do estrondo.

Pode ter sido abalo sísmico?

Conforme o geofísico George Sand França, professor do Observatório Sismológico (SIS), que é um Centro do Instituto de Geociências (IG) da Universidade de Brasília (UnB), não há nenhum registro de abalo sísmico em Sapucaia do Sul e Esteio na madrugada de quinta-feira. “Nada foi detectado. Como ocorreu um tremor na Serra é com uma população ficar apreensiva. Mas ainda não detectamos nenhum evento na nossa estação em Canela referente ao caso. É importante verificar se no momento do relato da trepidação não ocorreu nenhum evento como treinamento militar com aviões, veículo com som muito elevado. Algo próximo.” A geógrafa Eveline Alves Sayaõ reforça que a estação CLNB de Canela, que fica a 67 quilômetros da região, não detectou o evento. “A estação tem condições de verificar eventos sísmicos até 150 km de distância, essas cidades nós consideramos como dentro da área, mas não podemos precisar o que ocorreu porque lá na estação de Canela nada foi detectado”, afirma.

Moradores ficaram assustados com estouro

O soldador Luiz Adão Lopez, 57, dormia no bairro São Jorge, em Sapucaia do Sul, próximo ao Rio dos Sinos, quando foi acordado pelo forte barulho e abalo no solo. Ele correu para a rua na tentativa de se proteger. Segundo Lopez, ao olhar para o rio, a água e os barcos às margens balançavam devido ao estrondo. Para o estudante Matheus Souza, 17, pareceu uma explosão. “Estava no quarto, a janela tremeu toda e o barulho foi bem alto.” Em Sapucaia do Sul, Darby Diehl, 32, que trabalha na área de TI, morador do bairro Getúlio Vargas, acordou com o som do estouro. Quem conta é a esposa dele, Cheila Daiane Veronez, 30, vendedora. “Eu não ouvi nada, mas ele acordou com o barulho e a vibração. Achou que o vidro da janela ia quebrar. Só não quebrou porque estava um pouco aberta”, observou.
 
 
 
 

Publicidade